quarta-feira, 23 de junho de 2010

GRAPHIC NOVEL SOBRE O IRÃ



Marjane (e não Marjorie, como escrevi hoje) Satrapi, filha de uma família de classe média iraniana, narra a sua juventude tendo como pano de fundo um período que se estende dos últimos dias do governo de Reza Pahlavi até a consolidação da República Islâmica, passando pela guerra contra o Iraque e pela repressão imposta pelo governo do Aiatolás. O já clássico Persépolis, nome de uma das capitais do antigo Império Persa construída por Xerxes (aquele que aparece de forma caricata interpretado por Rodrigo Santoro no filme 300) e destruída por Alexandre Magno, é leitura obrigatória para os interessados neste misterioso país que foi berço de um dos maiores impérios da Antiguidade e que atualmente é governado com mão de ferro por uma elite religiosa e que ora ocupa os noticiários em virtude da sua política nuclear.

Lançado no Brasil pela Cia das Letras em dois diferentes formatos ,volume único cuja capa está acima ou dividido em três volumes, Persépolis pode ser encontrado com facilidade em grandes livrarias como Saraiva, Galileu ou Livraria da Travessa e em sites como Submarino.

Aproveitando o sucesso da graphic novel, foi rodado o filme homônimo que pode ser encontrado em qualquer locadora minimamente razoável.




A obra mais recente da autora intitulada Bordados saiu no Brasil neste ano também pela Cia das Letras. Ainda não tive oportunidade de ler mas as críticas e resenhas tem elogiado muito e, segundo soube, esta Graphic Novel também é inspirada nos costumes iranianos, principalmente no dia a dia das mulheres iranianas.




domingo, 13 de junho de 2010

sexta-feira, 11 de junho de 2010

BOA SORTE E MUITO SUCESSO.

Queridos e queridas alunas, este domingo marca o início do longo e penoso período de provas de vestibular. A "estação de caça" às vagas abre neste domingo com o 1º EQ da UERJ. Muitos de vocês estão inseguros, questionando suas capacidades e ansiosos. Não os culpo. Mas não se deixem abalar pela insegurança. Façam das dificuldades e obstáculos suportes para a sua vitória. Vocês podem, vocês são capazes, vocês conseguirão!

Para reforçar a motivação de vocês neste próximo domingo e ao longo do ano, uso as palavras de uma das mais brilhantes mentes que a humanidade conheceu: William Shakespeare.

video

Discurso de Henrique V no dia de São Crispim - Trecho de Henrique V com Kenneth Branagh - http://www.youtube.com/watch?v=OAvmLDkAgAM

Na peça Henrique V há uma passagem que acho esplêndida pois demonstra a capacidade que temos para vencer as adversidades e atingir nossos objetivos, por mais improváveis que pareçam.

O discurso do dia de São Crispim
A cena ocorre no acampamento inglês no dia da batalha de Azincourt (25 de outubro de 1415). O rei Henrique V faz a revista em suas tropas. Os ingleses tem dez mil soldados para opor-se aos 60 mil franceses que os aguardam nas planícies de Azincourt quando é abordado pelo conde de Westmoreland.

O conde de Westmoreland, primo do rei, lamenta a falta de mais homens para pelo menos tentar equilibrar um pouco a enorme diferença dos efetivos de combatentes. O rei toma a palavra então:

Quem expressa esse desejo? Meu primo Westmoreland? Não, meu simpático primo; se estamos destinados a morrer, nosso país não tem necessidade de perder mais homens do que nós temos aqui; e , se devemos viver, quanto menor é o nosso número, maior será para cada um de nós a parte da honra. Pela vontade de Deus! Não desejes nenhum um homem a mais, te rogo! Por Júpiter! Não sou avaro de ouro, e pouco me importo se vivem às minhas expensas: sinto pouco que outros usem minhas roupas: essa coisas externas não encontram abrigo entre as minhas preocupações; mas se ambicionar a honra é pecado, sou a alma mais pecadora que existe.

Não, por fé, não desejeis nenhum homem mais da Inglaterra. Paz de Deus! Não quereria, pela melhor das esperanças, expor-me a perder uma honra tão grande, que um homem a mais poderia quiçá compartir comigo. Oh! Não ansieis por nenhum homem a mais! Proclama antes, através do meu exército, Westmoreland, que aquele que não for com coração à luta poderá se retirar: lhe daremos um passaporte e poremos na sua mochila uns escudos para a viagem; não queremos morrer na companhia de um homem que teme morrer como companheiro nosso.

O dia de São Crispim: este dia é o da festa de São Crispim; aquele que sobreviver esse dia voltará são e salvo ao seu lar e se colocará na ponta dos pés quando se mencionará esta data, ele crescerá sobre si mesmo ante o nome de São Crispim. Aquele que sobrevier esse dia e chegar a velhice, a cada ano, na véspera desta festa, convidará os amigos e lhes dirá: "Amanhã é São Crispim". E então, arregaçando as mangas, ao mostrar-lhes as cicatrizes, dirá: "Recebi estas feridas no dia de São Crispim."

Os velhos esquecerão; mas, aqueles que não esquecem de tudo, se lembrarão todavia com satisfação das proezas que levaram a cabo naquele dia. E então nossos nomes serão tão familiares nas suas bocas com os nomes dos seus parentes: o rei Harry, Bedford, Exeter, Warwick e Talbot, Salisbury e Gloucester serão ressuscitados pela recordação viva e saudados com o estalar dos copos.

O bom homem ensinará esta história ao seu filho, e desde este dia até o fim do mundo a festa de São Crispim e Crispiano nunca chegará sem que venha associada a nossa recordação, à lembrança do nosso pequeno exército, do nosso bando de irmãos; porque aquele que verter hoje seu sangue comigo, por muito vil que seja, será meu irmão, esta jornada enobrecerá sua condição e os cavaleiros que permanecem agora no leito da Inglaterra irão se considerar como malditos por não estarem aqui, e sentirão sua nobreza diminuída quando escutarem falar daqueles que combateram conosco no dia de São Crispim.

(A vida do rei Henrique V, ato IV, cena III)

Retirado de http://educaterra.terra.com.br/voltaire/cultura/shakespeare_epoca2.htm

No combate, os franceses, comandados pelo condestável Charles I d'Albret, foram totalmente batidos pelos arqueiros ingleses num dos maiores desastres militares da história da França, que perdeu, além do condestável, 12 outros membros da alta nobreza, 1.500 cavaleiros e mais 4.500 soldados.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

RUSH - TIME MACHINE TOUR E OUTRAS NOVIDADES

No dia 29 de junho começa a nova turnê norte-americana do Rush e, conforme escrito acima, Lee, Peart & Lifeson tocarão na íntegra o fabuloso Moving Pictures. Infelizmente não há datas previstas para a América Latina.

Em breve (2011) será lançado um novo álbum e duas músicas já estão disponíveis em single: Caravan e Brought Up to Believe. Ainda não tive oportunidade de escutar mas em breve o farei.

Capa do single Caravan

Por fim, será exibido em alguns cinemas do Rio e Sampa o documentário Rush: Beyond the Lighted Stage no dia 17 em sessão especial!


Para obter informações atualizadas sobre o power trio canadense visitem o blog http://rushfaclubebr.blogspot.com/, mantido e constantemente atualizado pelo amigo Vagner Cruz.